segunda-feira

Palácio Ribamar (Biblioteca Municipal de Algés)



A sua construção em 1728, foi obra de D. Francisco Paula Portugal, 8º Conde de Vimioso e 2º Marquês de Valença, para residência familiar e centro de uma pequena corte, onde imperava a arte e a cultura, tendo acolhido alguns convidados de destaque e inclusivamente os membros do Conselho de Ministros. O edifício veio mais tarde a ser usado como convento franciscano, adquirindo nessa altura o nome de Convento de São José de Ribamar.

Em 1834, na sequência da aplicação do decreto liberal determinando a extinção das ordens religiosas, o Convento é vendido. Nessa altura, grande parte dos seus terrenos foram integrados na então Quinta da Maruja, mais tarde conhecida por Quinta de São João do Rio.

O Palácio teve como proprietários os Condes de Lumiar, os Marqueses de Valença e o Conde Cabral, que o comprou em 1872 e o doou depois ao Conde da Foz.

O edifício acabou mesmo por ser utilizado como casino entre 1920 e 1928.

Também aqui funcionou uma escola primária, mas durante muitos anos o Convento esteve votado ao abandono.

Ao ser adquirido pela Câmara Municipal de Oeiras em 1962, iniciou-se a recuperação do edifício e da área circundante.

O conjunto inclui ainda espécies vegetais centenárias, tais como a araucária e o dragoeiro.

Actualmente, para além de albergar a biblioteca municipal também tem um posto de turismo, uma galeria municipal, o Centro de Dança de Oeiras, o CEDMA - Centro de Estudos e Difusão de Musica Antiga e desde 2007 a USILA - Universidade Sénior Intergeracional de Algés.

6 comentários:

Miguel Correia disse...

Um belo edifício sem dúvida, mas com alguns senãos...
Primeiro, há quem pense que a Biblioteca de Algés continua a funcionar no renovado Palácio Anjos - muitas pessoas que conheço ficam admiradas por saber que já mudou para o Palácio Ribamar há alguns anos. Segundo, não existe nenhuma sinalética exterior que identifique e faça juz à importância que essa biblioteca já desempenhou no concelho de Oeiras há cerca de duas décadas atrás. Quem passar por lá e não conhecer a biblioteca, dificilmente perceberá que poderá entrar por esses portões adentro e que será bem-vindo. Depois há o acesso. Estacionamento difícil (ou explorado pela Parques Tejo) e de difícil acesso pedonal, quer pelo lado da estrada de Junça, quer do lado da rua dos eléctricos. Constragimentos que não se podem alterar... já em relação às duas primeiras é uma questão de quererem! Boa sorte!

Ana Arnold Guerreiro disse...

Bem-vindo ao Palácio - Biblioteca, Bruno!
Acredito que tu e a tua equipa vão conseguir reafirmar a biblioteca no mapa do Concelho, no conjunto tem potencial para isso, é uma questão de motivação, de estratégia - querer, acreditar e divulgar. Há trabalho para fazer e vais fazê-lo bem.
A VONTADE está contigo!

Conta comigo através do S.E. do CAMB. Vou deixando o “bichinho da vontade” de continuar a contemplar arte nos museus ambulantes… chamados livros e, que ainda por cima, moram ali no palácio ao lado… ;-)
Muitos Sucessos!
Bjs.

Susana Carinhas disse...

Parabéns! Pela beleza do edificio e pela adaptação realizada para albergar a biblioteca!
Mesmo que uma adaptação seja sempre uma adaptação e possa trazer dissabores futuros será sempre mais importante adaptar e adoptar determinados edificios de interesse arquitectonic/cultural a uma biblioteca ou centro de documentação do que estar ao abandono como vemos, infelizmente, no nosso país!
Como exemplo de uma boa adaptação podemos "ver" a Biblioteca Municipal de Mora (Alentejo)!! :) ;)

Ana Arnold Guerreiro disse...

"Há o hábito de pensar que se entra numa Biblioteca para procurar um livro.
Não é verdade.
Sim, por aí se começa,
mas o que na realidade se procura é a aventura..."

Umberto Eco

Bruno Duarte Eiras disse...

Obrigado a todos pelas palavras!
Esta espaço tem muito potencial... só espero ter oportunidade para a explorar!
Miguel,
Subscrevo inteiramente! Vamos tentar melhorar o Acesso a todos os níveis!
Susana,
Sempre bem informada. Vou ver melhor a biblioteca de Mora.
Bjs,
Anita,
A VONTADE vai guiar-me! Isto parece uma frase do Star Wars.:-)
Vamos fazer um intercâmbio entre o SE do CAMB e a BMA.
Bjs

MCA disse...

Bruno, sabes dizer-me se o Centro de Estudos de Música Antiga tem site?
Desejo a toda a equipa muita sorte (já que trabalho não falta...).
Obrigada pela visita e pelo comentário na BdJ. Não parámos em Mogadouro. Trás-os-Montes e Alto Douro são uma região enorme e com tanto para ver que não foi possível. Terá de ficar para uma próxima visita.