sábado

46.000 livros queimados na Venezuela

Parece que a moda de queimar livros está (infelizmente, e mais uma vez) de volta à actualidade.

Desta vez foi na Venezuela que se queimaram c. de 46 mil livros com a justificação de "razões ideológicas", i. é, sobre o o imperialismo americano - todos os livros infantis em que se fazia referência a neve foram destruídos.

Notícia completa do jornal El Universal aqui.

1 comentário:

Rute disse...

Não consigo imaginar (tantos) livros a serem queimados... mais difícil ainda será imaginar os leitores que se podem eventualmente ter "perdido"...