quarta-feira

A crise chega às bibliotecas

A crise ainda não atravessou o Atlântico no que diz respeito às bibliotecas, mas os impactos negativos do subprime já se fazem sentir também nas bibliotecas públicas norte-americanas.
Segundo um artigo recente do Library Journal, 11 dos 54 pólos da Rede de Bibliotecas de Filadélfia vão encerrar, representando uma poupança de c. de 100 mil de dólares e originando o despedimento de 111 funcionários. Para além destes cortes, alguns dos pólos vão ter os seus horários funcionamento reduzidos, bem como os dias de abertura ao público.

A Rede de Bibliotecas de San Diego também vai ver o seu orçamente reduzido em 20%, perdendo 7 dos 34 pólos e dispensando 33 funcionários. Apesar da taxa de utilização das bibliotecas ter aumentado 8% nos últimos meses - o que comprova a utilidade das bibliotecas em tempos de crise - o munícipio terá de efectuar cortes orçamentais em todos equipamentos culturais e recreativos.

Até mesmo a Biblioteca Pública de Nova Iorque enfrentará em 2009 cortes orçamentais de mais de 20% (c. de 20 mil de dólares!!!). Michael Bloomberg anunciou que no futuro os cortes (orçamento, recursos humanos e investimentos) estão entre os 2,5 e os 5 % ao ano. Prevista está também a redução dos dias de abertura ao público para 5 dias por semana na maioria dos pólos.

Afinal quem disse que a cultura (bibliotecas) não são um elemento importante na economia!?!?!

Imagem: NYPL

2 comentários:

Gaspar Matos disse...

Já em 2005 a Biblioteca Pública de Nova Iorque teve de vender obras de arte da sua colecção para colmatar, na altura, os 25% de redução orçamental. Qualquer dia têm de vender os livros, os pc's... Enfim, é triste...

Nuno Marçal disse...

Brillante Weblog 08

http://opapalagui.blogspot.com/2008/12/este-estamin-ambulante-foi-agraciado.html

Nuno Marçal
Bibliotecário-Ambulante